O primeiro Treino do seu Cachorro? Adivinha..

 

Quando recebemos um novo elemento nas nossas famílias, existem sempre inúmeras dúvidas. Quando esse elemento é um de quatro patas mais ainda. Uma das primeiras dúvidas está relacionada com as necessidades fisiológicas do cachorro. Estas questões são esclarecidas pelo médico veterinário na primeira consulta do animal (consulta pediátrica) que poderá esclarecer todas as questões relativamente ao novo membro da família.

Não nos esqueçamos que antes de tudo é um bebé, está na sua fase de aprendizagem e as suas necessidades serão mais frequentes que em adulto. Além de tudo, o cachorro não deverá, nos primeiros meses, passear na rua contactando directamente com o chão ou outros animais, devido à elevada probabilidade de ser exposto a doenças infecciosas para as quais ainda não possuí imunidade, explicado pelo médico veterinário na definição do plano de vacinação do animal.

 

Como vamos então ensinar o cachorro a fazer as necessidades no sítio certo?

 

Existem passos específicos a seguir:

Que material utilizar?

Existem várias opções, tendo em conta o orçamento e a utilidade. Desde normais resguardos infantis (colocados normalmente nas camas dos bebés na transição da fralda), resguardos próprios para cães e jornais. Os mais utilizados são os tapetes absorventes uma vez que permite que a urina seja absorvida, facilitando a limpeza.

Definir o local onde idealmente o cachorro deve fazer as suas necessidades

É importante definir qual o local onde pretende que o cachorro faça as suas necessidades, para que ele entenda onde o deve fazer. Coloque várias vezes o cachorro em cima do resguardo para que ele conheça a sua textura e o seu cheiro. Esta fase requer muita paciência pois estamos a lidar com um bebé que está a aprender e que certamente não entenderá à primeira. De forma a facilitar a tarefa, pode molhar o resguardo na urina de forma a que ele possa sentir o seu odor sendo atraído mais facilmente para o local desejado.

Qual a forma de o ensinar a fazer no local desejado?

É normal que nos primeiros dias o cachorro não entenda para que serve o resguardo. No entanto, vai reparar que ele faz a maioria das suas necessidades no mesmo sítio. Nesse momento, coloca-se o resguardo onde o animal urina e/ou defeca, movendo-o alguns centímetros todos os dias para o sitio correto. Desta forma ele não vai notar a alteração da posição do resguardo acabando por fazer sempre onde está colocado.

No momento em que o cachorro faz fora do sitio, devo reprendê-lo?

Ao contrario do que se possa pensar, a repreensão neste caso poderá ter o efeito contrário ao intencional, potencialmente agravando a situação. Ao repreender o animal por fazer as suas necessidades fora do local apropriado, está na verdade a dizer-lhe (sim, eles percebem!) que não o pode fazer. Ele não perceberá que a razão da repreensão é o local onde o fez. Intuitivamente o cachorro fará as suas necessidades e depois irá esconder do dono (ingerindo-as) para evitar a repreensão. O mais correto e eficiente é o chamado reforço positivo. Devemos recompensar quando faz bem, através de palavras curtas e positivas ou com guloseimas (eles gostam de ambas!). Quando fizer fora do sitio, pura e simplesmente ignore-o. Com o tempo ele percebe que se fizer no sitio dele, leva um miminho e acaba por fazer disso um hábito.

E quando puder sair para o exterior, como fazer?

O método baseia-se essencialmente na continuação do processo anterior, desta vez, aproximando pouco a pouco o resguardo da saída. As necessidades fisiológicas nesta altura serão mais distanciadas, não fazendo tantas vezes ao dia. Mais tarde, coloque também o resguardo no exterior para que nos primeiros dias, o animal associe o seu hábito ao exterior, até que não será necessário o resguardo e o cachorro entenda que só pode fazer as suas necessidades no exterior.

Em adulto, já com este processo completamente aprendido, o ideal será efetuar vários passeios no exterior. Não só por uma questão higiénica, mas também para exercitar e entreter o seu companheiro. Mas esse tema, abordaremos num artigo posterior..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *